George Rodger, das pilhas de cadáveres às tribos africanas.

Foto George Rodger

George Rodger foi um fotojornalista britânico (nascido em 19 de março de 1908 e falecido em 24 de julho de 1995) e um dos fundadores da agencia Magnum, juntamente com Robert CapaDavid Seymour e Henri Cartier-Bresson. Sua carreira como fotógrafo ganhou vida depois de ter regressado de uma viagem (1936) com um livro de notas e fotografias para ilustrar os seus apontamentos e se deparar com um anuncio de emprego do jornal Daily Telegraph, estavam precisando de um fotógrafo.  Com um portfólio composto por apenas 6 fotografias, Rodger ficou com a vaga de emprego. Em 1938 começou a trabalhar para a agencia Black Star e em 1940 foi enviado pela revista Life para cobrir a II Guerra Mundial. Rodger foi um dos poucos fotógrafos a registrar a libertação de alguns campos de concentração. Suas fotografias nas quais misturavam lindas composições e centenas de corpos empilhados rodaram o mundo. Mas depois de ter visto tantos casos de violência mudou o foco de suas abordagens e decidiu fazer uma longa viagem pela africa documentando diversas culturas africanas. Suas fotografias sobre as tribos africanas estão reunidas no livro HUMANITY AND INHUMANITY.

Confira abaixo um pouco do trabalho de George Rodger.

Esse post foi publicado em Fotojornalismo, Street Photography e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para George Rodger, das pilhas de cadáveres às tribos africanas.

  1. Projeto Verena disse:

    Esse sim é um trabalho típico de um dos fundadores da Magnum

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s